A AFCEA Portugal é o Capítulo nacional da AFCEA - Armed Forces Communications and Electronics Association, uma Associação fundada nos Estados Unidos durante o ano de 1946, com o objetivo de constituir um fórum privilegiado de encontro e debate, entre as Forças Armadas, a Indústria e os Órgãos de Investigação e Desenvolvimento no âmbito da sua atividade e no cumprimento dos requisitos de Defesa.

No presente, a Associação alargou o horizonte da sua atividade e é designada por “Association for Communications, Electronics, Intelligence and Information Systems for Professionals”.

A AFCEA está organizada em Regiões, que por sua vez estão divididas em Capítulos (“Chapters”) que são a essência da Associação e onde estão inscritos os associados - Individuais e Empresas.

A AFCEA Internacional, que dirige e coordena toda a Associação, tem a base em Fairfax - Virgínia, U.S.A.  Publica uma revista mensal designada “SIGNAL”, de elevado nível técnico e informativo; organiza e apoia simpósios especializados; promove e organiza cursos e fomenta um grande intercâmbio entre os associados.

 

As origens

 

Uma conjugação de situações existentes em Portugal, em meados da década de oitenta do século passado, esteve na origem da formação do Capítulo Portugal da AFCEA Internacional. Desde logo, o largo conjunto de oficiais estrangeiros, designadamente americanos, a prestar serviço no Comando da NATO em Oeiras – CINCIBERLANT, conhecedores e muitos deles associados da AFCEA Internacional, os quais, naturalmente, foram dando a conhecer os objetivos e a atividade da Associação aos oficiais portugueses a prestarem serviço naquele Comando. Um outro facto, não menos importante, era o envio regular da prestigiada revista “SIGNAL”, da AFCEA Internacional, para diversas unidades das Forças Armadas, designadamente para o Estado-Maior da Armada, o que conduziu à participação de elementos da Marinha em reuniões especializadas da AFCEA Internacional e da AFCEA Europa, que tiveram lugar em Paris e Bruxelas, mormente sobre assuntos relacionados com as tecnologias de informação e comunicação.

Foi assim crescendo a ideia da criação de um Capítulo Português da AFCEA Internacional, tirando partido de, ao tempo, ainda existirem em Portugal grandes empresas industriais a operar no setor da Defesa e por outro lado começarem a surgir várias empresas portuguesas nos setores das comunicações e da eletrónica que procuravam acompanhar tecnologicamente, as empresas que iam singrando nos EUA como resultado da revolução informática.

A AFCEA Europa estava atenta e conhecia a situação em Portugal. Assim, entre 03 e 07 de Novembro de 1986, o General Manager da AFCEA Europa, Brigadeiro-General, ITA (ref.) Tullio Baroni, conjuntamente com o Presidente da AFCEA Internacional, Vice-Almirante, USN (ref.), Dr. Jon L. Boyes, visitaram Lisboa tendo tido reuniões com o Diretor Nacional de Armamento e o chefe da divisão de Comunicações e Eletrónica do EMGFA.

Durante a estadia em Lisboa, desenvolveram as necessárias diligências no sentido de encontrarem um oficial português, que aceitasse a tarefa de criar do zero o Capítulo Portugal, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento das ligações técnico/comerciais entre as Forças Armadas e a indústria nacional. O oficial designado, que aceitou o encargo, foi o capitão-de-mar-e-guerra (ref.) Rui Santos Paiva, engenheiro de telecomunicações no CINCIBERLANT e que conjuntamente com o capitão-de-mar-e-guerra (ref.) Fernando Martins Salvador, engenheiro, na altura a desempenhar funções no Gabinete de Marketing e Novos Projetos da CENTREL Eletrónica Geral (CEG), foram os verdadeiros artífices da criação do Capítulo Portugal da AFCEA Internacional.

 

Em 04 de Agosto de 1987, vinte e quatro individualidades, militares e civis, assinaram o pedido formal da integração de Portugal na AFCEA Internacional (Application for Charter) que foi enviado à presidência da AFCEA Internacional, em Washington, e na sequência do qual, na reunião de Setembro do Board of Directors, foi emitido o certificado de criação efetiva do Capítulo Portugal com a data de 23 de Setembro de 1987.

Criado o Capítulo Portugal a nível da AFCEA Internacional, foi necessário desenvolver todas as diligências no sentido da sua legalização, no âmbito da legislação nacional. Assim, em reunião ocorrida no dia 24 de Setembro de 1987, os subscritores da Application for Charter, decidiram fundar a AFCEA Portugal – Associação para as Comunicações e Eletrónica nas Forças Armadas.

 

Os primeiros tempos

 

O início da atividade da AFCEA Portugal, como Capítulo 226 da AFCEA Internacional, teve lugar em 31 de Janeiro de 1988, numa reunião dos associados fundadores que contou com a presença do General Manager da AFCEA Europa. No entanto, a escritura pública da AFCEA Portugal, como associação sem fins lucrativos, só teve lugar em 16 de Março de 1989, tendo a publicação no Diário da República ocorrido em 10 de Abril de 1990.

 

A primeira sede da Associação localizou-se nas instalações do Laboratório Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial (LNETI), com o apoio do seu Presidente, Prof. Doutor Veiga Simão, que entendeu a importância da existência da AFCEA Portugal como elo de ligação entre aquele centro de investigação e desenvolvimento tecnológico ligado à indústria e a investigação no setor da Defesa.

Em 21 de Março de 1988, deu-se a adesão formal do LNETI como primeira entidade associada do Capítulo Portugal (AFCEA Corporate Member), facto que foi publicitado na Newsletter da AFCEA Internacional de Agosto desse mesmo ano. Na mesma reunião, foi aprovado o emblema da AFCEA Portugal.

 

Nas primeiras reuniões, ainda antes da realização da escritura pública, foi desde logo decidido organizar em Portugal, de dois em dois anos, um simpósio internacional como forma de mostrar a existência da Associação e de concretizar a sua afirmação no país e no estrangeiro.

Em Março de 1989, a revista SIGNAL e em Abril do mesmo ano, a Newsletter da AFCEA Internacional, davam conta da realização do 1º simpósio internacional organizado pela AFCEA Portugal, subordinado ao tema Internacional Atlantic Symposium on C3I, o qual decorreu no Centro de Formação Técnica do LNETI, nos dias 02 a 04 de Maio de 1989.

 

O simpósio e a exposição constituíram um enorme sucesso, tendo contado com a presença de mais de duzentos participantes de todo o mundo. A comissão de honra incluiu o Vice primeiro-ministro e Ministro da Defesa, Engenheiro Eurico de Melo, o Ministro da Indústria e Energia, Engenheiro Mira Amaral, o Presidente do LNETI, Prof. Doutor Veiga Simão, o Vice-Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, os Chefes do Estado-Maior dos três Ramos e o General Manager da AFCEA Europa. Na sessão de abertura, presidida pelo Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Defesa Nacional, Dr. Eugénio Ramos, estiveram presentes representantes dos Chefes do Estado-Maior do Exército, da Armada e da Força Aérea e ainda o Diretor Nacional de Armamento, General Cravo da Silva.

Durante o simpósio, um conjunto de oradores provenientes da NATO, das forças armadas portuguesas e da universidade, apresentaram as suas comunicações, tendo ficado claro a importância das atividades da AFCEA Portugal, como um fórum ético para a promoção do diálogo entre os organismos governamentais, os setores militares e a indústria. A sessão de encerramento foi presidida pelo Ministro da Indústria e Energia, Engenheiro Mira Amaral, tendo estado igualmente presentes representantes do Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas, dos Chefes de Estado-Maior dos três Ramos e ainda o General Diretor Nacional de Armamento.

 

Durante a semana de 22 a 26 Janeiro de 1990, decorreram as primeiras eleições para os corpos sociais da AFCEA Portugal, tendo em vista o biénio 1990 - 1991. Como resultado, foram eleitos os seguintes primeiros corpos sociais que tomaram posse em 14 de Fevereiro de 1990:

 

ASSEMBLEIA GERAL

 

Presidente: Professor Carvalho Rodrigues

Vice-presidente: General Mateus da Silva

Vice-presidente: Brigadeiro Adriano Portela

 

DIRECÇÃO

 

Presidente: Engenheiro Fernando Martins Salvador

Vice-Presidente: Comandante Rui Santos Paiva

Vice-Presidente: Tenente Coronel José Baptista de Lima

Secretário: Engenheiro Fernando Carvalho

Tesoureiro: Engenheiro João Silvério Marques

 

CONSELHO FISCAL

 

Presidente: Engenheiro Falcão Trigoso

Vogal: Engenheiro Lopes os Santos

Vogal: Engenheiro Geraldes Mascarenhas

 

 

Os anos de consolidação

 

Entre os anos de 1990 e 2004, a AFCEA Portugal conheceu um período de normalidade, prosseguindo a sua missão de se assumir como um fórum ético para o desenvolvimento de conhecimentos profissionais e relacionamento com as entidades dos setores da Defesa e da Segurança nas áreas da eletrónica e das comunicações. Neste sentido, foram realizados vários eventos técnicos, designadamente, os Simpósios Internacionais, para além de diversas visitas a entidades civis e militares. O número de empresas associadas e o número de associados individuais nunca parou de crescer.

 

Entretanto, ao longo deste período, o setor da defesa em Portugal, na linha do que vinha acontecendo em muitos outros países, sofreu uma importante transformação estrutural com a extinção gradual das grandes empresas industriais que operavam nesta área e o aparecimento de uma nova realidade alimentada por interesses ligados às questões da segurança, das informações e dos sistemas de informação. A própria composição dos associados da AFCEA Portugal, passou a refletir esta nova realidade. Assim, foi com naturalidade e no seguimento do que já acontecera na AFCEA Europa, que os associados, em reunião da Assembleia Geral, ocorrida em 21 de junho de 2002, decidiram alargar o âmbito da atividade da Associação das áreas das Comunicações e Eletrónica, para as áreas das Informações e dos Sistemas de Informação para Profissionais, mantendo-se contudo a designação AFCEA Portugal – Associação para as Comunicações e Eletrónica nas Forças Armadas.

 

Em 26 de Setembro de 1994, a AFCEA Portugal recebeu a visita do Dr. Buzz Aldrin, Coronel (ref.) USA, astronauta da missão Apollo 11 e um dos primeiros homens a pisar solo lunar, que se deslocou a Portugal a convite do Presidente da Assembleia Geral da AFCEA Portugal, Professor Carvalho Rodrigues.

 

Na Assembleia Geral de 07 de Julho de 2000, o Engenheiro Fernando Martins Salvador, após cerca de catorze anos de notáveis serviços, cessou as suas funções como Presidente da Direção da AFCEA Portugal, tendo sido substituído pelo Coronel (ref.), João Marques de Almeida.

 

Em 6 de Setembro 2004, o Contra-Almirante (ref.), Carlos Rodrigues Rodolfo, tomou posse como terceiro Presidente da Direção da AFCEA Portugal, cargo que desempenhou até Outubro de 2014.

 

Por deliberação da Assembleia Geral de 21 de Julho de 2006 a sede da AFCEA Portugal passou a ser no edifício da AIP na Praça das Industrias.

 

Ciente da importância de ter uma presença na “web”, a AFCEA Portugal dispôs desde muito cedo de um “sítio” próprio que foi totalmente reformulado em 2007. A presença nas redes sociais chegou mais tarde com a inauguração da página da AFCEA Portugal no “Facebook”, em 16 de Dezembro de 2013.

 

A afirmação da AFCEA Portugal

 

A partir de 2005, tendo em conta que a cooperação é um fator crítico de sucesso no ambiente competitivo da nova era global, a AFCEA Portugal iniciou um período de grande desenvolvimento, afirmando-se como uma Associação apostada em desenvolver uma estratégia de interação dinâmica entre todos os associados e outras entidades com potencial estratégico de conhecimento e de negócio, dando assim sentido à razão de ser das suas atividades.

 

Neste sentido, foi reforçada a capacidade de realização de eventos,  tais como visitas a entidades nacionais (militares e civis), e a promoção de cursos, seminários e encontros técnico-profissionais,  para os quais foram convidadas personalidades nacionais e estrangeiras com responsabilidade no âmbito da defesa e segurança, bem como altos responsáveis ao nível das empresas.

 

Desde logo, em Maio de 2005, a AFCEA Portugal, aproveitando o programa de desenvolvimento profissional, estabelecido pela AFCEA Internacional para a Europa (Professional Development Europe - PDE) e ciente da necessidade de preparar os organismos e as empresas nacionais para um melhor aproveitamento das oportunidades de negócio no âmbito da Aliança Atlântica, face ao seu alargamento, promoveu a realização do curso “ Doing Business With NATO – Understanding the System “. Este curso, lecionado em inglês, por um perito da AFCEA Europa, contou com a participação de representantes de 16 empresas que o consideraram muito importante. Visou a compreensão da organização do aprovisionamento da NATO, no que diz respeito à tecnologia e aos serviços e o esclarecimento dos procedimentos e dos processos de candidatura e de acreditação, para efeitos de fornecimento de bens, tecnologias militares e serviços conexos.

Posteriormente, em 2007, a AFCEA Portugal promoveu a realização de três Cursos de Segurança Industrial, que se realizaram nas Instalações da Associação Industrial Portuguesa (AIP) com o apoio de formadores do Gabinete Nacional de Segurança (GNS). Estes cursos, cujo objetivo foi transmitir os conhecimentos essenciais sobre segurança das instalações e a segurança e o manuseamento de documentos classificados, foram frequentados por mais de sessenta representantes de cerca de quarenta empresas, institutos e organismos oficiais. O reconhecido êxito destas ações da AFCEA Portugal, permitiu estreitar e intensificar o relacionamento no sector da segurança e defesa, contribuindo assim para uma maior cooperação dos seus associados com as entidades que se relacionam com a AFCEA. 

No entanto, de entre os inúmeros eventos realizados pela AFCEA Portugal ao longo dos seus 25 anos de existência, destacam-se pela sua importância e visibilidade, a realização em Lisboa, do “TechNet Europe 2005”, nos dias 19, 20 e 21 de Outubro de 2005, do I Congresso Nacional de Segurança e Defesa, em 24 e 25 de Junho de 2010 e do “TechNet International 2013”, nos dias 23 e 24 de Outubro de 2013.

 

Ambos os “TechNet”, sendo os maiores eventos realizados anualmente pela AFCEA Europa, contaram com uma plêiade de notáveis conferencistas nacionais e internacionais, militares e civis e com as presenças nas sessões de abertura, do Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante Vidal Abreu, no “TechNet Europe 2005” e da Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional, Dr.ª Berta Cabral, no “TechNet International 2013”. O êxito da realização destes eventos que contaram com um número muito elevado de participantes, contribuiu decisivamente para a afirmação da AFCEA Portugal no âmbito da AFCEA Internacional.

O I Congresso Nacional de Segurança e Defesa, organizado conjuntamente pela AFCEA Portugal e pela Revista Segurança e Defesa, com o alto patrocínio de S. Exª o Presidente da República, Prof. Doutor Aníbal Cavaco Silva, teve lugar no Centro de Congressos de Lisboa, nos dias 24 e 25 de Junho de 2010. Sendo uma iniciativa da sociedade civil, pretendeu preencher um espaço que  não se encontrava ocupado, de debate e discussão acerca de importantes questões de segurança e defesa,  visando também identificar contributos para um renovado conceito de “Estratégia de Segurança Nacional”.

O trabalho desenvolvido pelo Capítulo Portugal, mereceu, em 24 de Junho de 2009, a visita do Presidente e CEO da AFCEA Internacional, Mr. Kent Schneider, e da Vice-Presidente executiva, Mrs. Becky Nolan, que reuniram com os órgãos sociais da AFCEA Portugal. O Presidente da AFCEA Internacional, decidiu aproveitar essa oportunidade para fazer publicar na revista SIGNAL de Maio de 2010, um “Country Report” sobre Portugal, com entrevistas a personalidades nacionais e a indicação das indústrias mais importantes Durante a visita foi oferecida a medalha da AFCEA Portugal, ao Presidente da AFCEA Internacional

 

A partir de 2005, a AFCEA Portugal, em estreita colaboração com as empresas associadas e numa iniciativa de grande projeção futura pelo impacte junto das camadas jovens, iniciou o estabelecimento de protocolos com as Academias Militares e as Escolas de Tecnologias Militares dos três ramos das Forças Armadas, mas igualmente com a Polícia de Segurança Pública e com a Universidade da Beira Interior, tendo em vista a atribuição de prémios escolares aos melhores alunos de determinadas disciplinas tecnológicas. Desde 2005, foram entregues mais de cinquenta prémios escolares.

 

Em 2013 foram criados os Clubes de Estudantes do Porto (FEUP) e da Covilhã (UBI. Posteriormente em 2015 foi criado o Clube de Estudantes de Almada (Escola Naval). A criação dos Clubes de Estudantes foi um passo enorme para o envolvimento do meio académico jovem nos objetivos operacionais da associação. O envolvimento dos jovens nas atividades da vida associativa, vai na linha do elevado empenhamento da AFCEA Internacional no desenvolvimento pessoal e profissional dos Young AFCEANs.

 

Em 1 de Outubro de 2014, o Contra-Almirante (ref.), Mário do Carmo Durão, tomou posse como quarto Presidente da Direção da AFCEA Portugal.