Realizou-se no dia 30 de janeiro de 2020, no Auditório da Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, a Conferência intitulada “Os Conflitos na Era da Inteligência Artificial”, sobre como poderão ser os conflitos no futuro, numa era em que a Inteligência Artificial irá ter um papel determinante, organizada pela Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação (APDSI), com a colaboração da AFCEA Portugal e o apoio da Associação de Auditores dos Cursos de Defesa Nacional e que contou com a presença de 130 participantes.

A abertura esteve a cargo da Presidente da Direção da APDSI, Maria Helena Monteiro, que se congratulou por ver a sala cheia o que, nas suas palavras, reflete o interesse do tema da Conferência.

Seguidamente, Francisco Tomé, Coordenador do Grupo de Missão “Futuros da Sociedade da Informação” da APDSI, começou por recordar que o grupo funciona como uma espécie de “think tank” onde se pretende fazer uma reflexão sobre o futuro, ter pensamento criativo, discutir temas e ideias, e criar cenários futuristas.

A primeira parte da conferência foi preenchida com a apresentação do CALM Mário Durão, Presidente da Direção da AFCEA Portugal, subordinada ao título “Tendência Futuras no Campo de Batalha” onde depois de descrever a guerra moderna abordou as tendências para a guerra no futuro. A guerra hibrida,  a criação da Internet das coisas do campo de batalha, a utilização da inteligência artificial, as armas do futuro e os sistemas autónomos, entre outros conceitos, produziram temas  para o debate que preencheu a segunda parte da Conferência.

Na segunda parte da Conferência, teve lugar um vivo e interessante debate sobre “Manipulação de consciências individuais e coletivas em ambientes de conflito”, moderado por Luis Vidigal, Membro do Grupo de Missão “Futuros da SI” da APDSI, com a participação de Francisco Santos, formado em computação e IA, José Amaral Gomes, Membro do Grupo de Missão “Futuros da SI” da APDSI, Maria Vânia Nunes, Neurocientista e Professora na Universidade Católica Portuguesa, Mendo Castro Henriques, Filósofo e Professor na Universidade Católica Portuguesa e Nuno André, Investigador em Teologia e Ilusionista.

Debate sobre “Manipulação de consciências individuais e coletivas em ambientes de conflito”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.